O mercado financeiro tem sido a alternativa encontrada por muitas pessoas que buscam multiplicar sua renda extra com um bom grau de confiança. O perfil de investidor de cada um irá definir se esse investimento é para alcançar a liberdade financeira, garantir uma aposentadoria tranquila ou apenas não deixar suas reservas paradas. Ou seja, aventurar-se no mundo dos investimentos tem se mostrado uma ótima opção. 

Mitos e desconhecimentos sobre o mercado de ações, por exemplo, ainda afastam muitos investidores desta modalidade de aplicação. Existe uma ideia muito forte no imaginário da população brasileira de que o mundo financeiro é um ambiente exclusivo, onde somente aqueles que possuem muito dinheiro e disposição para arriscar têm participação efetiva, o que não é verdade.

Felizmente, com um pouco de conhecimento sobre o assunto, essa falsa noção é completamente desmistificada. O mundo dos investimentos nunca esteve tão acessível. E, longe de ser um ambiente onde só exista o alto risco, com o devido auxílio de um profissional qualificado você poderá ver que há diversos produtos financeiros que oferecem segurança e bons retornos, fazendo com que seu dinheiro trabalhe por você.

Perfil dos Investidores

Para iniciar, é importante ter clareza de que não existe o melhor ou o pior investimento. O que existe é o tipo de investimento que é mais adequado para você. Descobrir isso passa por uma série de questões como quais objetivos, capacidade financeira, profissão e escolaridade de quem quer aplicar. E talvez mais importante, em qual perfil de investidor você se encaixa. 

O perfil de investidor busca detectar quais são suas prioridades, observando três critérios base: segurança, liquidez e rentabilidade. Como cada um destes critérios têm influência direta no outro (maior rentabilidade traz menor segurança, por exemplo), a forma que você se inclina em relação a estas variáveis irá indicar em qual perfil de investidor você se encaixa.

O perfil de investidor, de modo geral, é distribuído em três categorias: conservador, moderado e agressivo.

Conservador

É o investidor que menos tolera perdas e prioriza a alta liquidez. É um investidor que busca segurança em suas aplicações, não querendo deixar seu patrimônio desprotegido, mesmo que isso prejudique seus retornos. É uma categoria que normalmente se ajusta a investidores iniciantes, que, por medo de perder seus investimentos, optam por uma posição mais cautelosa. 

O perfil conservador prefere uma carteira de investimento que priorize a renda fixa, e deixa apenas uma pequena parcela destinada a renda variável. Exemplos de investimentos conservadores: Tesouro Direto, Fundos DI, CDB, LCI e LCA.

Moderado

É um meio termo entre o conservador e agressivo. Ele assume riscos um poucos mais altos em troca de uma rentabilidade maior, mas ainda dando importância à segurança. Eles conseguem abrir mão de certa liquidez e segurança a fim de que seus retornos sejam mais elevados.

Em geral, são agentes que possuem um conhecimento maior de mercado e, também, um patrimônio que garanta uma diversificação nos investimentos para objetivos de médio e longo prazo. Desta forma, ativos de renda variável ocupam um espaço maior na sua carteira de investimentos mas ainda assim não de maneira dominante. 

Investidores moderados possuem uma carteira diversificada para aumentar sua taxa de retorno média, mas ainda assim atenuando os riscos. Desta forma, mantém parte de seu investimento em títulos conservadores, mas também se aventuram em ações, debêntures, fundos multimercado, etc. 

Agressivos

É o perfil que busca maior rentabilidade possível, à custa de sua segurança financeira ou liquidez. Este tipo de investidor entende que, por mais que haja incerteza, os riscos do mercado de capitais diminuem no longo prazo, em momentos de estabilidade econômica.

É um investidor que detém um alto conhecimento do mercado financeiro, tem objetivos de longo prazo, e se interessam por grandes resultados. Isso não significa que sejam investidores imprudentes. Por mais que o foco deste investidor seja a renda variável, ele ainda reserva boa parte do seu capital para aplicar em renda fixa, seja para se ter uma reserva de emergência, de oportunidade, ou para atingir objetivos de curto prazo.

Para quem planeja começar a investir no mercado financeiro, mas tem dúvidas sobre quais aplicações fazer e que tipo de investidor é, uma assessoria especializada pode oferecer as respostas para estas questões. Conseguindo equilibrar suas ambições e condições financeiras com seu perfil de investimento, esta assistência de profissionais da área poderá ajudar a compor a carteira ideal para sua forma de investir. 

Consultoria Gratuita

Preencha o formulário para receber o contato de um de nossos consultores.

Felipe Chad
Autor

Felipe Chad, CFP®, é o sócio fundador do portal Omeupatrimonio.com.br e da 3P Capital. Tem vários anos de experiência em atendimento a clientes de alta renda e private, além de ser líder de equipe de assessores de investimentos há mais de 10 anos.

Escreva um comentário

Open chat
1
Posso te ajudar?
Olá, podemos te ajudar?